Primeira-dama do Estado conhece trabalho de artesãos santeiros que serão homenageados no 38° Salão do Artesanato Paraibano em CG

0
0

A primeira-dama do Estado e presidente de Honra do Programa do Artesanato Paraibano (PAP), Ana Maria Lins, esteve, nesta quarta-feira (9), no município de Lagoa Seca, no Agreste paraibano, para dar início a uma série de visitas aos artesãos santeiros que serão homenageados no 38° Salão do Artesanato Paraibano, que ocorrerá de 7 a 30 de junho, em Campina Grande, e terá como tema “Paraíba de Todos os Santos e Encantos”. O evento é uma realização do Governo da Paraíba e Sebrae-PB.

As visitas técnicas, acompanhadas por auxiliares da gestão estadual, a exemplo da secretária do Turismo e Desenvolvimento Econômico (Setde), Rosália Lucas, têm como objetivo discutir detalhes da homenagem e levar orientação aos homenageados sobre logística de produção e de comercialização durante o evento,  que ocorrerá durante as festividades do Maior São do Mundo.

Na ocasião, Ana Maria Lins ressaltou a importância das visitas técnicas para o planejamento da homenagem aos artesãos santeiros e também para o Salão do Artesanato Paraibano. “O 38° Salão do Artesanato Paraibano vai homenagear os artesãos santeiros, que desenvolvem um trabalho lindo, de muita qualidade e que gera renda para muitas famílias, principalmente aqui em Lagoa Seca, o berço de toda essa arte. Muitos esperavam havia muitos anos por essa homenagem, e essas visitas são para que esse momento seja inesquecível, que tudo saia de acordo com a vontade deles”, disse.

“Esses artesãos santeiros são pioneiros, conseguem manter a tradição dos santos na forma original, e tenho certeza de que eles terão muito sucesso no Salão do Artesanato, essa grande vitrine para todas as tipologias. O artesanato aqui de Lagoa Seca tem uma tradição muito forte, um artesanato cultural, mas também que gera renda para muitas famílias”, observou Ana Maria Lins.

A segunda-dama Camila Mariz, que também acompanhou a visita, evidenciou a qualidade do artesanato de Lagoa Seca e a importância do apoio que o segmento tem tido do Governo da Paraíba. “Os artesãos santeiros desenvolvem um trabalho extraordinário — é emocionante ver pessoalmente a agilidade, o domínio, o talento, o dom com que eles esculpem essas peças. E a visita da primeira-dama Ana Maria Lins representa todo o apoio que o segmento como um todo tem tido do Governo do Estado, com a sensibilidade do governador João Azevêdo, do vice-governador Lucas Ribeiro. Uma homenagem muito merecida, e tenho certeza de que será também linda”, comentou.

A secretária da Setde, Rosália Lucas, disse que a homenagem aos santeiros durante o “Maior São do Mundo” reúne todas as condições para um grande sucesso. “O Maior São João do Mundo nasce do religioso, e essa homenagem aos artesãos santeiros fortalece toda essa tradição. Além do mais, é uma oportunidade da população daqui, do turista levar uma boa lembrança do São João da Rainha da Borborema neste ano. O Salão do Artesanato é uma grande vitrine e ocorre em momentos importantes para os artesãos: no mês de janeiro, lá em João Pessoa, quando a Capital está lotada de turistas; e no mês de junho, em Campina Grande, com grande movimentação por conta do maior São do Mundo. E tudo isso pensado para que o artesão, para que a artesã gere renda, tenha mais qualidade de vida”, afirmou.

A gestora do PAP, Marielza Rodriguez, também salientou a importância das visitas técnicas aos artesãos homenageados no planejamento do Salão como um todo. “É um momento dos mais importantes, em que toda a equipe do PAP vê in loco o trabalho desenvolvido pelos homenageados e, com isso, surgem as ideias do cenário, da ambientação do Salão do Artesanato. Além disso, é uma grande oportunidade de toda a equipe do PAP passar orientações para que eles aproveitem ao máximo essa vitrine de divulgação, que é o Salão do Artesanato Paraibano”, observou.

A visita da primeira-dama aos artesãos santeiros foi acompanhada, ainda, pela vereadora de Campina Grande Eva Gouveia; e pela coordenadora de Capacitação do PAP, Yara Alencar, assim como também pela técnica do PAP, Giogiane Luna.

Os homenageados — A visita da primeira-dama Ana Maria Lins começou pela artesã Lourdes Diniz. Aos 70 anos, dona Lourdes tem pelo menos 60 anos dedicados ao artesanato, arte que aprendeu com a mãe, Paulina Diniz, referência em Lagoa Seca. “Essa homenagem que eu recebo me deixa muito grata e feliz. Participo do Salão do Artesanato desde o início, e essa homenagem nesse lugar me deixa muito honrada. Gostaria de agradecer a todos do Governo, do Programa do Artesanato, por terem se lembrado de mim. É um grande incentivo”, acrescentou, fazendo questão de ressaltar que tudo o que conquistou, como a casa própria e a criação dos filhos, foi com o artesanato.

Sentimento compartilhado também pelo filho, Francisco Diniz, aos 55 anos o único da família a dar continuação à arte da mãe, herdada da avó. “Essa homenagem me deixou também muito feliz, mas estou mais ainda pela minha mãe, que aprendeu com a minha avó e repassou para mim. “Comecei a trabalhar com a minha mãe fazendo os acabamentos. Depois, aprendi a criar minhas próprias peças. Por isso eu acredito que essa homenagem à minha mãe chega em boa hora”, disse.

Logo em seguida, Ana Maria Lins foi ao ateliê de Rogério da Silva conhecer a habilidade do artesão que faz verdadeiros milagres com as mãos. Com técnica e adaptação do material de trabalho feito por ele mesmo, as peças sacras se multiplicam no ateliê de Rogério — são quatro peças de São Francisco de médio a grande porte feitas por dia, por exemplo.

“Estou há quase 30 anos trabalhando com o artesanato e essa homenagem é algo que esperava há muito tempo, porque é gratificante a gente ser reconhecido na nossa arte. Meu trabalho é reconhecido — recebo encomenda pelo Brasil afora —, mas nunca tive uma homenagem assim da minha Paraíba, do Programa do Artesanato. Quero agradecer a todos do Governo do Estado por fazerem isso por nós, reconhecer a nossa arte. O Salão do Artesanato é uma grande janela de oportunidades, agora imagine você ser homenageado?”, indagou.

O sentimento de felicidade também está presente na parceira de trabalho de Rogério, Tatiana Santos. “Eu recebo essa homenagem com muita satisfação, com muita alegria. O Salão do Artesanato é aquela vitrine, quando todo mundo vê o seu trabalho, as encomendas aumentam. Tenho uma relação de muito afeto com esse evento. Por isso, ser homenageada nele tem uma emoção ainda maior”, completou.

Por fim, a primeira-dama conheceu o trabalho do artesão santeiro Ricardo da Silva. Após 32 anos de artesanato, ser homenageado é uma iniciativa do Governo do Estado que se traduz em gratidão. “Eu vi muitos companheiros de outras tipologias serem homenageados e agora chegou a nossa vez. É um sentimento muito gratificante, de muita alegria essa homenagem que eu recebo do Governo do Estado, do Programa do Artesanato Paraibano. A minha expectativa é muito grande para esse Salão”, contou.

O filho de Ricardo, Igor do Nascimento também vai ser homenageado. Dos 20 anos de idade, pelo menos 10 são dedicados ao artesanato. Ele é enfático ao definir o que essa homenagem significa: “É uma honra. Tão jovem e já ser homenageado no Salão — o meu pai vai ser homenageado depois de 32 anos. É um grande incentivo para que eu continue com essa arte que aprendi com ele. Por isso, mesmo quando me formar em engenharia, quero seguir com o artesanato”, finalizou.

SECOM-PB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui